Anel símbolo da profissão de corretor de imóveis


O anel terá as seguintes características 

“Art. 2º – O anel terá as seguintes características: metal amarelo com pedra verde (turmalina ou esmeralda) incrustada com o Colibri (Glaucis Hirsuta).”

VEJA A RESOLUÇÃO DO COFECI QUE CRIA O ANEL SÍMBOLO DOS CORRETORES DE IMÓVEIS
RESOLUÇÃO-COFECI N.º 335/92 Cria o anel símbolo do Corretor de Imóveis. O CONSELHO FEDERAL DE CORRETORES DE IMÓVEIS-COFECI, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 16, da Lei n° 6.530, de 12 de maio de 1978, e do artigo 10, do Decreto n° 81.871, de 29 de junho de 1978, e, CONSIDERANDO que a grande maioria das profissões liberais têm um anel como símbolo que caracteriza sua atividade profissional; CONSIDERANDO que a profissão de Corretor de Imóveis já atingiu um elevado grau de respeitabilidade no seio da coletividade, justificadora da adoção de um símbolo que a identifique; CONSIDERANDO a decisão do Egrégio Plenário, em Sessão realizada dia 07 de agosto de 1992; R E S O L V E : Art. 1º – CRIAR o anel símbolo do Corretor de Imóveis. Art. 2º – O anel terá as seguintes características: metal amarelo com pedra verde (turmalina ou esmeralda) incrustada com o Colibri (Glaucis Hirsuta). Art. 3º – Os Conselhos Regionais estimularão o seu uso pelos profissionais. Art. 4º – Esta Resolução entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições contrárias. Brasília(DF), 10 de agosto de 1992 WALDYR FRANCISCO LUCIANO Presidente RUBEM RIBAS Diretor 1º Secretário


Por que o colibri foi escolhido como símbolo da profissão de corretor de imóveis? Clique aqui e saiba mais…

www.consultoriajuridicaonline.com

A classe dos Corretores de Imóveis conta com um estímulo adicional ao seu desenvolvimento e desempenho. Um símbolo que a identifica e distingue entre as demais.

Essa marca é o Colibri – o beija-flor brasileiro – o símbolo dos Corretores de Imóveis. A escolha resultou de pesquisas encomendadas pelo COFECI a especialistas que indicaram o Colibri – “Glaucis Hirsuta” – para representar a classe por ser o pássaro que mais se asse-melha aos profissionais da intermediação imobiliária na luta pela sobrevivência.

Aprovado por unanimidade dos conselheiros durante a realização da XVII Seção Plenária do COFECI (em Porto Alegre no ano de 1981). O símbolo representa o Corretor de imóveis nos impressos, faixas, logotipos, medalhas e todos os anos no dia 27 de agosto, quando se comemora o Dia Nacional do Corretor de Imóveis, conforme a resolução COFECI nº, 126/81.

Por que o colibri?

A escolha se justifica. O Corretor como agente intermediário na compra e venda de imóveis assemelha-se ao colibri que é, por excelência, um intermediário entre duas fases de um processo de enri-quecimento da natureza, isto é, a transformação da flor em fruto pela polinização realizada em grande parte pelo pássaro em sua visitação constante à procura do néctar. Neste aspecto tam-bém observa-se outra semelhança: ao voar em torno de cada flor, o colibri não in-vade a corola, nem pousa sobre as pé-talas, mantendo-se fora e retirando de cada flor apenas o necessário.
Um outro aspecto interessante do colibri diz respeito à sua resistência devido ao seu grande coração. Metaforicamente podemos dizer que o bom Corretor, o profissional destinado a futuramente incluir-se entre os merecedores da Medalha do Mérito, depende também do seu coração na medida em que realiza seu trabalho com amor, dedicação e senso profissional, da sua resistência, o esforço em aprimorar-se e ao seu trabalho, não importando as dificuldades ou distâncias a percorrer e vencer na busca do seu objetivo.
Como os Corretores de Imóveis os colibris estão presentes em toda parte e vale a pena conhecer mais sobre eles para que se possa apreciar melhor o nosso símbolo. Embora originários da América são encontrados desde as regiões geladas do Alasca até a Terra do Fogo, no extre-mo meridional da América do Sul. Mas a denominação “colibri” foi dada pelos franceses, acabando por generalizar-se por toda a Europa.

 

Entretanto, diversas são as espécies desse pássaro que no Brasil é chamado beija-flor e já era conhecido pelos índios tupis como guainumbi, guanambi ou mainumbi. Entre os colibris destacam-se o beija-flor abelha (Mellisuga helenae), o menor pássaro do mundo, do tamanho de uma abelha grande e que pesa cerca de duas gramas, sendo encontrado apenas em Cuba. A espécie maior é o beija-flor gigante (Patagona gigas), pouco menor que um pardal e com peso nunca superior a 20 gramas e que tem por habitat o topo dos Andes.
Existem ainda o beija-flor bico-de-foice (Eutoxeres aquila), beija-flor cauda de raquete (Lodigesia mirabi-lis), beija-flor tesoura (Sapho Sparganura), beija-flor de papo vermelho (Archilochus Colubris) e beija-flor de papo ama-relo (Crysolampis mosquitus).

 

Apesar de seu pequeno porte os colibris são capazes de percorrer ininterruptamente grandes distâncias, como é o caso do beija-flor pescoço de rubi, que emigra anualmente dos trópicos para o Canadá, sobrevoando o Golfo do México num percurso de quase 800 quilômetros. Essa extraordinária resistência física deve-se ao coração gigantesco do pássaro, que corresponde a sessenta por cento de seu peso total. Como os músculos das asas dos colibris são muito mais desen-volvidos do que nos demais pássaros, o seu movimento extremamente rápido per-mite paradas no ar, guinadas repentinas e recuas, que provavelmente nenhum outro pássaro faça.
As espécies menores são as mais velozes, chegando a ruflar suas asas duzentas vezes por segundo, provocando um zumbido agudo no ar.
Finalmente, vale lembrar que a sabedoria popular coloca o colibri como indicador de sorte, bom tempo e felicidade, quando diz para indicar situações difíceis que “o céu está mais para urubu do que para colibri”, onde o urubu, ima-gem de azar, tristeza e tempos ruins, contrapõe-se ao colibri, que representa sorte. alegria e felicidade.